NOTÍCIAS

Brasil debate o Código Internacional do Notariado em evento da UINL na Sérvia
23 DE MAIO DE 2024


Belgrado, Sérvia – Entre os dias 8 e 11 de maio, a delegação do notariado brasileiro representando o Conselho Federal do Colégio Notarial do Brasil (CNB/CF) marcou presença nas Reuniões Institucionais da União Internacional do Notariado (UINL). O evento, realizado em Belgrado, na Sérvia, contou com a participação ativa de representantes brasileiros em debates cruciais para o futuro do notariado mundial.

Principal tema do encontro, o debate em torno do Código Internacional do Notariado envolveu representantes de 91 países do mundo e centrou-se, particularmente, nas discussões sobre três itens polêmicos. O texto será levado à votação nas reuniões de outubro da entidade, em Lisboa, Portugal.

Conforme indicado pelos conselheiros do Brasil, presentes nos debates, as polêmicas envolvem a existência de notários substitutos em alguns países, bem como a competência para substituição do notário titular quando de suas ausências ou impedimentos. Países como Argentina, Espanha e Alemanha têm essa preocupação, inclusive no que se refere à possibilidade de associação entre notários. Outros, como Bélgica e Holanda têm suas atenções voltadas à disciplina da prática de atos por aspirantes ao notariado.

Outro tema polêmico nas discussões é a possibilidade de participação de mais de um notário na prática de um mesmo ato jurídico. Como definir conflitos de responsabilidade e imparcialidade?  Essa é uma situação existente em países como Costa Rica e República Dominicana, porém, encontra oposição da maioria dos países membros.

O terceiro tema que motivou intenso debate entre os participantes, envolve o denominado notário multiprofissional, existente em países onde a atividade notarial é exercida simultaneamente com outras atividades, como advogados, corretores ou contadores. Essa é uma realidade em países como Porto Rico e outros sete da América Central.  Essas situações devem ser tratadas como exceções na redação final do Código, pois, nas palavras de Alfonso Cavallé, da Espanha, “colidem com funções e características essenciais de imparcialidade da atividade notarial, inclusive sendo classificadas como fragilidade pelo relatório do Gafi, órgão internacional de combate à lavagem de dinheiro”.

E-Notariado em destaque

A plataforma E-Notariado do Brasil foi um dos temas centrais das reuniões, recebendo atenção especial dos países membros da UINL. Na manhã do dia 9 de maio, Ubiratan Guimarães apresentou os avanços e a utilização da plataforma, destacando a realização de mais de 3,5 milhões de atos eletrônicos em quatro anos. Guimarães também apresentou a nova funcionalidade das Smart Escrituras, atualmente em fase final de desenvolvimento. “A plataforma e-Notariado proporciona ao notariado brasileiro uma ferramenta de grande usabilidade e versatilidade”, afirmou, ressaltando o impacto positivo da tecnologia na modernização dos serviços notariais.

Os membros da delegação brasileira também estiveram envolvidos em diversas Comissões de Trabalho, abordando temas como Avanços Digitais e Autenticidade, Combate à Lavagem de Dinheiro, e Igualdade de Gênero. Fabiana Aurich e José Renato Vilarnovo, por exemplo, participaram das discussões sobre Deontologia Notarial, focando na atualização do Código de Ética da UINL para incluir novas tecnologias e práticas de atos notariais à distância. Já Marcelo Lima Filho e Rodrigo Reis Cyrino integraram o Grupo de Trabalho de Atos Digitais e Autenticidade, debatendo os avanços na prática de atos eletrônicos, incluindo um estudo detalhado sobre a plataforma e-Notariado do Brasil.

Temas em debate

As reuniões institucionais da UINL foram ainda palco de debates em torno de dois temas especiais de discussão. O primeiro deles envolveu a responsabilidade civil dos notários e o seguro profissional, coordenado pelo notário belga Alain Deliège. Representantes do Brasil, incluindo Ubiratan Guimarães, Flávio Fischer, José Renato Vilarnovo e Rodrigo Reis Cyrino, contribuíram significativamente para as discussões, que abordaram a segurança proporcionada por sistemas de seguro obrigatório e garantias coletivas para notários. Destaque especial para o debate em torno dos sistemas subsidiários de indenização e de garantia coletiva, adotado pelos notariados europeus e que, via entidade nacional dos notários, fornece segurança a atuação notarial nestes países.

Além disso, temas como a competência dos notários em Direito Empresarial foram explorados, com contribuições de diversos países sobre o papel específico dos notários na prevenção à lavagem de dinheiro e na prestação de serviços empresariais.

Coordenado pela professora holandesa Birgit Snijder-Kuipers, o tema da atuação notarial no Direito de Sociedades contou com as experiências de países como Benin, Croácia, Espanha, Japão, México, Sérvia e República de Maurício. Entre os temas debatidos. ”O alcance dos serviços notariais em Direito das Sociedades” e o “O Papel específico dos notários em Direito de Sociedades e a prevenção à lavagem de dinheiro”.

Também foram feitas apresentações sobre o valor da intervenção notarial para o Estado, realizada por Corrado Malberti, do notariado da Itália, e sobre o valor da intervenção notarial para o empresário, feita por Peter Stelmaszczyk, do notariado da Alemanha.

Solidariedade e Apoio Internacional

Durante as reuniões do Conselho Geral da UINL, Flávio Fischer, presidente do Colégio Notarial do Brasil – Rio Grande do Sul (CNB/RS), fez um apelo emocionado por auxílio internacional após a catástrofe natural que atingiu seu estado. Fischer relatou a devastação causada pelas chuvas intensas, que resultaram em numerosas mortes, desaparecimentos e destruição de infraestrutura, incluindo cartórios. Seu pedido por apoio à reconstrução do estado e das unidades notariais afetadas foi recebido com aplausos e solidariedade pelos membros da Assembleia.

Participam das Reuniões Internacionais em Belgrado os conselheiros internacionais Ubiratan Guimarães, Flávio Fischer, Rodrigo Reis Cyrino e José Renato Vilarnovo, e os membros de Comissões Elinalva Henrique da Silva, presidente do CNB/CE, Marcelo Lima Filho, presidente do CNB/AM, e Fabiana Aurich, notária em Cariacica (ES).

Fonte: CNF/CF

Outras Notícias

Anoreg RS

Central Cidadania recebe indígenas em mais um dia de atendimentos
21 de junho de 2024

A Central Cidadania, organização conjunta entre os Poderes Judiciário e Executivo Estadual, realizou mais uma...


Anoreg RS

MPI institui Fórum para debater regularização fundiária no Brasil
20 de junho de 2024

Atividades irão começar pelos estados do Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul Por meio da Portaria nº 166,...


Anoreg RS


20 de junho de 2024

O Secretário de Habitação e Regularização Fundiária, Carlos Gomes, esteve reunido, nesta quarta-feira (19/6),...


Anoreg RS

Senado aprova Mauro Campbell para ser o novo corregedor do CNJ
20 de junho de 2024

Por 62 votos favoráveis, um contrário e uma abstenção, o Plenário aprovou nesta quarta-feira (19) a indicação...


Anoreg RS

Prescrição da petição de herança conta da abertura da sucessão e não é interrompida por investigação de paternidade
20 de junho de 2024

A Segunda Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ), sob o rito dos recursos repetitivos (Tema 1.200),...


Anoreg RS

Temas da área extrajudicial são destaque na reunião mensal da Anoreg/RS e Fórum de Presidentes
19 de junho de 2024

Encontros são coordenados pelo presidente da Anoreg/RS, Cláudio Nunes Grecco.


Anoreg RS

STJ reconhece legitimidade de viúva para questionar registro de suposto bisneto reconhecido como filho pelo marido falecido
19 de junho de 2024

Para a Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça – STJ, uma viúva tem legitimidade para questionar registro...


Anoreg RS

CNJ facilita o protesto e a negociação extrajudicial de dívidas.
19 de junho de 2024

Por meio dos Provimentos 167 e 168 de 2024, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) atualizou regras do Código...


Anoreg RS

Justiça reconhece exclusão do sobrenome de pai biológico por abandono afetivo
19 de junho de 2024

A 8ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) julgou um recurso que...


Anoreg RS

Dados de registros de imóveis na Amazônia é foco de acordo entre CNJ, ONR e MMA
19 de junho de 2024

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o Operador Nacional do Registro do Sistema de Imóveis (ONR) e o Ministério...